Palestra sobre jovens, cultura e política

Palestra sobre jovens, cultura e política

O Programa de Pós-Graduação em Sociologia e o Departamento de Sociologia da Universidade Federal de São Carlos convidam para a palestra “Jovens, cultura e política: urbanidades, fluxos e apropriações” que será proferida por Silvia Helena Simões Borelli, da Pontifícia Universidade Católica de São Carlos (PUC-SP), dentro da programação das Quartas Sociológicas.
Os jovens formam um segmento populacional especialmente atingido pelas rapidíssimas transformações no panorama da sociedade brasileira, em particular, na vida cotidiana da cidade de São Paulo. Torna-se um desafio a busca pela compreensão de seus códigos e suas formas de viver, entrelaçadas pelo sentido de urgência e destemor, pelas tensões entre ousadias e desassossegos, esperanças e incertezas, inclusões e exclusões. Viver a/ na cidade de São Paulo e experimentar o inevitável conjunto de contradições – classe, etnia, gênero, condição/ situação de vida como migrante/ refugiado – supõe o enfrentamento de barreiras de acesso e de mecanismos de exclusão, mas também a busca pelas possíveis brechas inclusivas.
Torna-se evidente o significativo protagonismo de jovens e coletivos juvenis, “mais ou menos” autônomos, “mais ou menos” institucionalizados que “soltam a voz”, definem lugares, marcam territórios e respondem por formas de ocupação – ora consentidas, ora insidiosas – dos espaços na metrópole. Interferem na questão urbana e permitem a emergência de conflitos entre as esferas pública e privada. Provocam tensões na relação entre institucionalidades e (des)institucionalidades e ampliam as possibilidades de ações e práticas políticas “fora” do âmbito estritamente institucional. Transformam espaços de preconceito e estigmas em “lugares seus”: lugares possíveis de empodaremento, de aprendizagem, de experiências ímpares; lugares de fronteira entre o conhecido e o que está para ser compreendido; lugares de fluxos, identidades/ pluralidades. Propõem novas formas de manifestação, que mesclam “participação” e “ativismo”. Expressam-se pela mescla entre cultura, estética e política e demandam novos referenciais de base epistemológica, teórica e metodológica para a sua compreensão e interpretação.
No âmbito da presente pesquisa (e dos projetos anteriormente realizados, desde 2002), observa-se a existência de inúmeras experiências juvenis de participação e mobilização cultural e ações políticas no território urbano, a despeito das violências, injunções e adversidades que acompanham esse segmento populacional. A concepção de juventude é tratada de forma qualificada ao considerar as múltiplas dimensionalidades, tais como condições/ situações de classe, gênero, etnia, cultura, região, processos migratórios, contexto sócio histórico, entre outros.
Silvia Borelli é antropóloga, professora Doutora/Livre Docente do Departamento de Antropologia e do Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). É pesquisadora nas áreas de antropologia, sociologia da cultura, comunicação: jovens/juventudes: ações, culturais, políticas e comunicacionais; políticas públicas de/para juventudes; produção/recepção midiáticas; livros/leitura/editoras/mercado editorial. Co-coordena o Curso de Pós-Doutorado em Ciências Sociais, Infância e Juventude (CLACSO) e integra o Comitê Científico da RedINJU-Red de Posgrados en Infancia y Juventud (CLACSO/OEI-Organización de Estados Iberoamericanos, os comitês de Coordenação e Avaliação da Escuela Internacional de Posgrado/Infancias y Juventudes en América Latina (RedINJU).
Data: 10/10/2018
Horário: 10 horas
Local: Auditório da Educação Especial – Área Sul – Campus UFSCar – São Carlos
Realização: Programa de Pós-Graduação em Sociologia; LEST – Laboratório de Estudos sobre Trabalho, Profissões e Mobilidades; Departamento de Sociologia
Apoio: Capes

2018-10-08T15:32:46+00:00 08/10/2018|Notícia|