Palestra com Prof. Valter Silvério

Palestra com Prof. Valter Silvério

O Programa de Pós-Graduação em Sociologia promoverá a palestra “TRANSNACIONALISMO NEGRO, DIÁSPORA AFRICANA: desafios para uma nova imaginação sociológica” com o Prof. Dr. Valter Roberto Silvério, professor titular do Departamento de Sociologia e docente credenciado do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de São Carlos.
Trata-se da apresentação de resultados de minha recente pesquisa estruturada com base em uma variada pesquisa documental e bibliográfica, visitas a museus e exposições, tendo por referência um modelo de análise da historiografia¹ negra, da memória estabelecida sobre os eventos relativos à organização política dos negros, durante o século XX, recorrendo aos termos Pan-Africanismo, internacionalismo e transnacionalismo negro e diáspora africana.
Ao assumir uma política do uso de diáspora, traz para o primeiro plano a função analítica do termo, porque (embora alguns trabalhos históricos recentes confundam a questão) diáspora não tem sido um termo dominante de organização política. A “diáspora africana” aqui adere a muitos elementos considerados comuns às três diásporas “clássicas” (a dos judeus, a dos gregos e dos armênios): em particular, uma origem no espalhamento e no desenraizamento de comunidades, uma história “de partidas forçadas e traumáticas”, assim como um sentimento de relação, real ou imaginária,com a “terra natal”, mediado por dinâmicas de memória coletiva e pela política do “retorno”. Como um quadro para a produção do conhecimento, a “diáspora africana”, da mesma forma, inaugura uma análise radicalmente descentralizada e ambiciosa de circuitos transnacionais de cultura e política² que resistem aos padrões de nações e continentes ou os extrapolam.
Os movimentos transnacionais negros, portanto, ao serem analisados na perspectiva da diáspora nos remetem às dinâmicas específicas do processo de racialização de segmentos populacionais no interior dos Estados nacionais e, ao mesmo tempo, as estratégias de suas lideranças para a formação de um tipo de organização política não limitada às fronteiras dos Estados nacionais e da opressão racial.
Tento, também, situar a inserção do Brasil neste movimento diaspórico, na década de 60 do século passado argumentando, por um lado, a necessidade de uma nova imaginação sociológica que considere a agência histórica criativa dos intelectuais, ativistas e movimentos sociais negros durante o século XX e, por outro lado, as mudanças em curso no Brasil, em torno de uma nova agenda de valorização da cultura afro-brasileira e africana.
A palestra é gratuita, aberta a pessoas interessadas, sem necessidade de inscrição prévia.

Data: 21/11/2018
Horário: 10 horas
Local: Auditório do CECH – Área Sul – Campus UFSCar – São Carlos
Realização: Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Departamento de Sociologia


¹ É uma palavra polissêmica e designa não apenas o registro escrito da História, a memória estabelecida pela própria humanidade através da escrita do seu próprio passado, mas também a ciência da História.
² Edwards. Social Text, 66, v. 19, nº 1, spring, 2001.

 

2018-11-14T15:43:10+00:00 14/11/2018|Notícia|