O PPGS tem três grandes linhas de pesquisa que agrupam seus docentes a partir de temáticas comuns.

Consulte também a página DOCENTES para conhecer o profissional mais adequado para a sua orientação.

O tema sociológico clássico da diferenciação social e das desigualdades econômicas refinou-se nas últimas décadas de forma a incorporar reflexões sobre identidades nacionais, religiosas, étnico-raciais, de gênero e sexualidade. Além das investigações baseadas na pesquisa de campo e em estatísticas, a produção cultural também se revelou um meio importante de análise para a compreensão dos mecanismos sociais de criação e reprodução da exploração, marginalização e subalternização de grupos sociais específicos. Abarca estudos que mantém a preocupação com as desigualdades sociais em seu viés sócio-econômico assim como as que refletem sobre outras formas de subalternização de grupos e culturas: a reprodução das desigualdades por meio da indústria cultural; relações étnico-raciais contemporâneas na sociedade brasileira; relações de gênero e reprodução social; investigações históricas sobre os processos sociais de subalternização e controle de identidades sociais estigmatizadas; a diversificação do mercado religioso no Brasil.

Docentes associados à linha de pesquisa Cultura, Diferenças e Desigualdades: Anete Abramowicz, Jorge Leite Júnior, Maria Inês Rauter Mancuso, Paul Charles Freston, Richard Miskolci, Tânia Pellegrini e Valter Roberto Silvério.

Esta linha de pesquisa objetiva estudar transformações sociais na contemporaneidade e na sua dimensão histórica, tendo como referência suas implicações na estrutura social, nas relações de poder e na constituição de sociabilidades. Mudanças na produção e reprodução social dão novos sentidos à ação social, assim como às categorias espaço, tempo e identidades coletivas. A distinção de estudos macromicro e/ou das diversas dualidades características do pensamento sociológico dá lugar à busca de continuidades nos processos sociais nas quais as classificações são percebidas como parte de um todo mais amplo. Inclui temas como globalização, trabalho e crise da sociedade salarial, mercado de trabalho e inovação tecnológica, reconfiguração das classes sociais; atores sociais e ação coletiva; mobilidade social, ocupacional e espacial; exclusão social, territorialidade e migrações; qualificação, profissões e educação; justiça, violência e segurança.

Docentes associados à linha de pesquisa Estrutura Social, Poder e Mobilidades: André Ricardo de Souza, Cibele Saliba Rizek, Fabiana Luci de Oliveira, Fábio José Bechara Sanchez, Jacqueline Sinhoretto, Jacob Carlos Lima, Maria da Gloria Bonelli, Oswaldo Truzzi.

Esta linha de pesquisa centra-se nos estudos de configuração sócio-espacial das atividades humanas, que envolvem analisar não somente os padrões sociais de uso dos recursos ambientais como também a própria dinâmica dos movimentos sociais contemporâneos nos meios urbano e rural. As pesquisas desenvolvidas por docentes e discentes nesta linha procuram lidar com temas relacionados a novas ruralidades; novos processos de urbanização, de segregação e exclusão sócio-espacial, com respectivos desdobramentos nas políticas de inovação tecnológica, saneamento ambiental e habitação popular; formas diferenciadas de sociabilidade decorrentes de novos modos de articulação urbano-rural; e os desequilíbrios ecológicos e desastres sócio-ambientais derivados das interações complexas entre o sistema social e a natureza socializada, entre outros. O conjunto desses temas se articula em torno da noção contemporânea de desenvolvimento sustentável e suas implicações na renovação das políticas públicas.

Docentes associados à linha de pesquisa Urbanização, ruralidades, desenvolvimento e sustentabilidade ambiental: Gabriel de Santis Feltran, Maria Aparecida Moraes Silva, Rodrigo Constante Martins e Rosemeire Scopinho.